quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Varizes pélvicas

Há algum tempo, acompanho o drama de uma amiga minha, a qual vivia se queixando de um sangramento estranho, pois não era menstrual, de cólicas e muitos outros desconfortos ginecológicos. Conversa ia e vinha, sempre orientando a visitar um especialista, e ela, por causa do trabalho,  protelando a ida ao médico. Fizemos várias especulações, desconfiamos do uso por tempo prolongadíssimo do mesmo anticoncepcional. Pensamos que, pelo fato de usá-lo há muito tempo, já não funcionava eficazmente; ou que, talvez, fosse consequência de alguma infecção urinária. 
Finalmente, ela aproveitou as férias e foi ao médico, o qual passou uma ultrassom e...problema desmascarado. Ela sofre de varizes no útero, também chamada de varizes pélvicas.
Essa doença, pouco divulgada, aparece em mulheres depois dos 30 anos, e por alguns  motivos, no caso da minha amiga, foram gestações com pouco espaço de tempo e de parto normal.
A boa notícia, de acordo com a matéria disponível em http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/vida/noticia/2013/08/saiba-o-que-sao-as-causas-e-sintomas-das-varizes-pelvicas-4228781.html,  é que a doença possui dois tipos de tratamento: a por meio de medicação flobotônica, e a outra por meio cirúrgico, em que ocorrerá a retirada de todo o bloco varicoso. Todavia, não há cura, ou seja, deverá ser feito um acompanhamento regular da doença junto ao seu médico.
Para esclarecer melhor o assunto, assistam ao vídeo abaixo, em que o angiologista Abdo Farret tira algumas dúvidas sobre o problema.


Fica o alerta, cuidem-se e visitem o médico regularmente.

Até mais, meninas! ;D